.:Pedale à noite

O período noturno é a única opção de horário de treino para muitos ciclistas. Saiba quais equipamentos e cuidados são necessários para garantir sua segurança no pedal

Por Cesar Candido dos Santos

Depois de um longo dia de trabalho, o período noturno é a única opção de treino para muitos ciclistas. A temperatura agradável e o fluxo de veículos menos intenso são algumas das vantagens de se pedalar à noite, mas é também neste horário que existem mais perigos para os atletas, pois a bicicleta tem pouca visibilidade no trânsito, e alguns cuidados são necessários para garantir a segurança.

“O programa de quem pedala de noite não difere muito de quem treina durante o dia. Existem muitas pessoas que na semana fazem o treino no período noturno e nos fins de semana de manhã”, afirmou Fábio Rosa, treinador de ciclismo da MPR Assessoria Esportiva. “É importante quem realiza atividades físicas à noite fazer um desaquecimento mais longo, para que não tenha dificuldade de pegar no sono após o exercício”, completou Fábio.

“Comecei a pedalar à noite porque fazia faculdade de manhã e trabalhava de tarde. Mas continuei treinando neste horário depois que me formei. Além de ser menos corrido para mim, gosto do clima ameno, do trânsito mais leve e do cenário que se forma com as ruas e casas iluminadas”, declarou Fabiano Rocha, 29, publicitário.

Segurança

Seja de dia ou de noite, o ideal é sempre procurar um lugar apropriado para a prática do ciclismo, como parques ou ruas com pouco fluxo de carros. Infelizmente, não é possível encontrar locais assim na maioria das cidades, e isto exige daqueles que pedalam, não só no período noturno, mas em qualquer horário, atenção redobrada.

No escuro, além da falta de iluminação esconder perigos como buracos e obstáculos, o ciclista fica menos visível para os automóveis, e, conseqüentemente, mais exposto ao risco de sofrer acidentes. Por isso, é muito importante utilizar alguns acessórios que aumentam a segurança de quem está na bike.

O Código de Trânsito Brasileiro obriga usar refletores na dianteira, traseira e laterais da bicicleta, mas, por razões ópticas, a luz emitida por eles geralmente abrange apenas um ângulo de 40º (20º para cada lado). Por isso, o mais prudente é utilizar um sinalizador de luz vermelha, os famosos pisca-piscas, na parte de trás e um farol de luz branca na frente.

“Os faróis dianteiros servem como uma sinalização para carros e pedestres e são muito importantes. Mas eles também chegam a iluminar algumas ruas mais escuras”, declarou Roberto Allegrini, da Tutto Bike, que promove passeios noturnos as terças e quintas-feiras pelas ruas de São Paulo.

Utilizar roupas com cores claras e adesivos refletivos nas vestimentas ou no capacete também ajuda a aumentar a visibilidade. “Possuo um capacete só para pedalar à noite, cheio de adesivos refletivos. Também coloco na roupa umas faixas refletivas de velcro. Tenho umas cinco, uso nos braços e nas costas, fico ridículo, parecendo um vaga-lume, mas a segurança é muito mais importante do que a estética”, declarou Fabiano.

Também é importante ter sempre a mão ferramentas, bomba de ar e câmeras reservas para solucionar qualquer problema eventual, e sempre obedecer as leis de trânsito. “É preciso respeitar semáforos, pedestres e tomar cuidados nos cruzamentos, olhar sempre antes, mesmo que o sinal esteja verde para o ciclista. Além disso, nunca se deve andar na contramão. Algumas pessoas acham que isto é mais seguro, mas na verdade isto é muito mais perigoso”, alertou Roberto, que recomenda sempre pedalar em grupos durante a noite, pois isto aumenta a visibilidade dos veículos e diminui os riscos de assaltos.

Hora do jantar

A alimentação de quem pedala à noite também não é muito diferente. A dieta deve ser rica em carboidratos, proteínas e fibras, mas é preciso evitar pratos muito pesados, principalmente antes de dormir. “O ideal é comer imediatamente após o treino, e evitar alimentos pesados ou muito calóricos. Deve-se priorizar os carboidratos e evitar gorduras e fibras depois do treinamento. Durante o dia, a alimentação pode ser igual a de qualquer atleta”, disse Fábio Rosa.

Comente este artigo...